Vol2Ima1

Vol2Ima2

Vol2Ima3

Vol2Ima4


Um filósofo pode fazer grandiosas perguntas,

mas políticos dão grandiosas respostas.

Eu sou todas as suas respostas.


Supere seu passado.

Pessoas diriam isso facilmente.

Se eu fosse dar uma dica a essas pessoas otimistas, seria que várias experiências do passado no mundo não podem ser superadas.

E se sua mãe fosse um lixo de humano?

Está tudo bem. Dá para lidar.

Ou se seu pai fosse um lixo de homem?

Você pode ser paciente com isso também.

Mas, se você assistisse suas meio-irmãs mais novas tremerem de medo porque sua própria mãe bateu neles, apenas porque são crianças de outras mães, com o seu pai assistindo futilmente de lado sem dizer sequer uma palavra— nesse ponto, você poderia apenas aceitar a verdade.

Que sua vida foi empurrado em bosta de cachorro.

Tinha vagamente assumido que minha vida estava nessa posição quando eu tinha 10 anos.

Minhas meia-irmãs mais novas se agarraram entre si e choraram. A razão era simples. Minha mãe tinha xingado-as, gritando “Suas crianças sujas de putas!”. Claro, não sabia o que ‘puta’ significava nessa época. Eu tinha 11 anos no dia em que descobri que a existência do pênis podia ser usado para algo além de mijar, significando que precisei de mais 1 ano para entrar no mundo da obscenidade.

Estou sério.

Até eu tive uma época em que era puro.

Voltando à história.

Não teria como crianças de 5 e 6 anos compreenderem o significado da palavra ‘puta’, quando um de 10 anos também não conseguia. Exceto, era óbvio que a palavra estava sendo usada de uma forma ofensiva. Como conseguia dizer? Isso é porque minha mãe chamou-as de putas.

“Ó Deus. Então vocês duas são crianças de uma puta.”

Ela não falou tão gentilmente deste jeito, mas.

“Crianças vira-latas. Como ousam não saberem seus lugares, e—!”

Em vez disso ela explodiu selvagemente.

Até crianças saberiam se não são bem-vindas.

Independente de conseguir entender palavras, dá para entender se um adulto à sua frente está tentando te matar ou te ajudar. É especialmente notável se o adulto intensamente te dar tapas na cara enquanto falando “crianças de putas”.

Assim, o momento que minhas meia-irmãs começaram a ficar de ombros trêmulos.

O momento que minhas irmãs mais novas estavam felizmente rindo um segundo atrás, por fim abafaram seus choros porque estavam com medo que fossem morrer.

Meu instinto me disse que se eu não arrumasse esta situação de merda, então minha vida também viraria merda.

“Pai. Abandone minha mãe.”

“O quê?”

“Não desnecessariamente faça perguntas. Você ouviu tudo. Divorcie da minha mãe.”

Meu pai piscou.

Até mesmo seu pestanejar parecia como uma desculpa, o que aumentou meu aborrecimento em relação a ele.

“…do que está falando?”

“Então você vai continuar se mantendo recuado? Tudo bem. Usarei esta oportunidade para claramente dizer isto. Minha mãe é insana. Minhas irmãzinhas apenas quebraram um copo de cerâmica por acidente, mas sabe o que minha mãe fez?”

Dei um tapa na minha própria cara. Bem forte.

Porque pensei que deveria fazer uma demonstração.

“Ela bateu nelas. Forte o suficiente para as derrubarem no chão. Até aqui dá para negligenciar como uma paciente histérica normal, mas o que ela fez em seguida foi o verdadeiro problema. Minha mãe foi pegar uma faca de cozinha e a apunhalou perto dos rostos das minhas irmãs.”

“…”

“Você entende? Uma faca de cozinha. Ela mostrou uma faca de cozinha à minha irmãzinha de 5 anos. Minha mãe não é uma paciente histérica. Ela é inteiramente uma pessoa insana. Divorcie da minha mãe imediatamente e chute-a de casa.”

“Filho. Ela ainda é sua mãe.”

“Estou perfeitamente ciente.”

Falei friamente.

“É por isso que estou te incitando ainda mais a divorciar dela. Antes que eu despreze ainda mais o pai que aclamou amar aquela mulher e fazê-la sua esposa.”

“…”

“Pai. Você leu-me citações do Rousseau ontem. Que a diferença entre homens e bestas é que eles têm arbítrio. Você leu-me isto num tom leve, realmente leve. E hoje, descobri uma besta no rosto da minha mãe.”

“Certamente, foi efetivo em te dar um professor de retórica. Vendo que você é muito mais eloquente do que eu na sua idade.”

“Tinha percebido que sou um gênio quando tinha 6 anos. Você não me fará perceber de novo me elogiando agora.”

“Você ouviu como um elogio? Estava zombando.”

“Ha. Você é aquele que precisa escutar classes de retórica, pai. Você sequer consegue apropriadamente zombar seu filho, e ainda acha que conseguirá manter sua mulher? Por favor, faça melhor em se autorrefletir.”

“Falarei novamente. Ela é sua mãe.”

A voz do meu pai ficou fria.

“Por 10 meses, ela experienciou por todos os tipos de dores te segurando em seu estômago antes te lhe dar à luz. A primeira pessoa a sorrir quando você veio ao mundo foi sua mãe, a primeira pessoa a chorar quando você se machucou pela primeira vez também foi sua mãe. Filho. Saiba seu lugar. Como ousa dizer palavras imorais como chutar sua própria mãe.”

Ri entredentes.

“Que sem vergonha.”

“O quê?”

“Isto não é meu problema. Isto é seu problema, pai. Por causa de uma única mãe, seis de suas crianças estão sendo abusadas. É uma matemática simples. Salvará um, ou salvará os outros seis. Descarte palavras irritantes como imoral. Não há humano eticamente lixo como você, pai. Nenhum.”

“…”

“Esta será a última vez que pedirei algo sobre este tópico, pai. Por definitivo. Então dê-me uma resposta séria. Vai se divorciar da minha mãe?”

Meu pai ficou em silêncio.

Ele ficou em silêncio por mais de 40 minutos.

O motivo de eu lembrar exatamente o tempo é porque olhei o relógio de pulso que meu pai estava usando. Era mais ou menos a hora em que 11 da manhã estava virando meio-dia.

“Não posso.”

Malditos meio-dia.

Desde essa época, eu odiei esse horário permanentemente. Meu hábito de me recusar de acordar de manhã também se originou disto. Falarei novamente, mas. Eu realmente desprezo a manhã e a tarde.

“…por que não?”

“Porque eu amo a sua mãe.”

“Isso é realmente, imensamente, uma resposta desapontadora. Então significa que você não ama seus filhos, pai? Você não liga se sua esposa fosse tentar matar todas as suas crianças?”

“Sim.”

E assim nunca consegui esquecer este momento.

Como um escultor usando um martelo e prego para encravar uma marca em meu cérebro.

Um tipo de trauma foi firmado.

“Eu amo sua mãe esse tanto.”

“…”

“Me desculpe, filho.”

“…agora mesmo, pai.”

Engoli em seco.

Talvez não seja só saliva que eu engoli.

“Pai, você acabou de perder toda a minha confiança.”

“Eu sei.”

“Pai, você acabou de arruinar minha vida.”

“Também sei disso.”

Meu pai acenou com a cabeça.

“Seja o que você escolher, você vai viver uma vida mais complicada que a minha.”

Esse maldito pai.

Eu realmente te detesto.

“…deixe-me perguntar uma última coisa. Se isto fosse uma pergunta normal…você obviamente sacrificaria uma pessoa por seis. Esse é o tipo de pessoa que você é, pai. Mas, por causa dessa coisa assim chamada amor, está me dizendo que escolheria uma acima de seis?”

“Exatamente.”

“Se esse seu amor, pai, está apenas te fazendo fraco, então qual o ponto do amor?”

Meu pai não respondeu.

Porque ele não conseguia responder.

Mordi meus lábios e amaldiçoei.

“Me sinto envergonhado em olhar para meu pai fraco. Você entende? Envergonhado até a morte. No fim você realmente não conseguiu escolher nada, pai. Você realmente é isso, um maldito indeciso.”

Nessa época, ‘maldito’ era o xingamento mais forte que conhecia.

Não sabia como usar xingamentos mais fortes que esse.

Já não disse?

Que até mesmo eu tive uma época em que era puro.

“Filho.”

“Não se desculpe. Não ficarei nervoso com você para fazê-lo se desculpar. O que possivelmente poderia mudar se você se desculpasse. Apenas saiba isto.”

Eu jurei.

Um juramento frio.

Um juramento claro.

“Não me tornarei fraco como você, pai.”

“…”

“Nunca.”

E.

E…

Img1

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 20
Niflheim, Praça de Hermes

Plaft!

Na verdade, foi um som bem alegre.

O som de pele colidindo ecoou alto.

Pessoas provavelmente ficaram alarmadas por causa da súbita onda de choque forte, pois estavam boquiabertos. Aproximadamente 200 demônios de várias raças estavam olhando para cá. Nesta situação, ‘para cá’ simplesmente se referia a duas pessoas.

Eu.

E Lapis Lazuli.

“Esta está desapontada.”

“…”

“E pensar que Vossa Majestade é uma pessoa apenas deste nível.”

Com um rosto completamente sem emoções.

Mas com um tom ainda mais frio, ela falou.

“Sendo Vossa Majestade, esta achou que Vossa Majestade seria diferente dos outros Lordes Demônio. Esta acreditou que Vossa Majestade mostraria algo diferente das pessoas intoxicadas por autoridade. Mas tudo que esta consegue ver é um porco incrivelmente gordo.”

Eu cautelosamente senti minha bochecha.

Dói.

Minha pele estava vermelha e inchada.

Não é impressionante?

“…Lapis Lazuli. Mesmo sendo minha amante e noiva, você ainda é minha vassalo. À luz do dia, no centro de uma praça, em frente de centenas de civis, você levantou sua mão ao seu lorde. Você sabe o quão desleal esta ação é, certo?”

“Sim. Esta sabe.”

“Muito bem.”

Acenei com a cabeça.

Seja uma exilada ou uma híbrida, alguém assim ousar bater em um inviolável Lorde Demônio. Isto sozinho é o suficiente para alcançar os holofotes das notícias do ano. Até mesmo as pessoas na praça estavam olhando para cá com um olhar surpreso.

Mas ainda não terminou. Permita-me deixar mais aprazível.

Assim decretei.

“Eu, Dantalian, aqui liberto-a de seus deveres.”

“…”

“Não apareça mais na minha frente.”

Nesse dia, uma chocante notícia se espalhou pela cidade.

O casal que tornou-se o mais famoso no mundo dos demônios por ter superado diferenças sociais, quebrou-se em 2 meses.

Se isto não é uma ocasião esplêndida, então não sei o que é.

[Ilustrações do Volume 1]            [Índice]             [Próximo Capítulo]


Publicado por: Seiya